Sean Riley traz a sua Andaluzia à Galeria Zé dos Bois e ao Passos Manuel

Gravado ao longo de um fim-de-semana numa pequena localidade balnear no sul de Espanha, Andaluzia, segundo registo a solo de Sean Riley, é uma colecção de cinco canções, são dois “amigos-irmãos”, Sean Riley e Legendary Tigerman, a partirem à aventura. O sucessor de California, editado em 2018, será apresentado esta quinta-feira em Lisboa e dia 2 de Junho no Porto.

Foto
“Um tempo invernoso, cinzento, chuvoso, mas com um vento sul muito quente", assim recorda Sean Riley os dias de gravação Paulo Furtado

Os habitantes da pequena localidade nascida a olhar o mar ficariam certamente intrigados com a actividade que se desenrolava naquela antiga casa de pescadores. Quem seriam aqueles dois forasteiros que chegavam carregados de material? Quem seria aquele pessoal que saía para curtos passeios pela praia, antes de regressar à casa onde se mantinham horas e horas seguidas, som de vozes e instrumentos a ecoarem na distância, desde a manhã até noite profunda? Eram Afonso Rodrigues e Paulo Furtado, ou seja, Sean Riley e Legendary Tigerman, e tinham chegado a Matalascañas com uma missão. Estacionaram numa sexta-feira, despediram-se de Matalascañas na segunda seguinte. Trouxeram de lá Andaluzia, segundo registo a solo de Sean Riley, segundo volume da escrita em viagem que os dois músicos iniciaram, há quatro anos, com California, e que será apresentado esta quinta-feira, na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa (22h, lotação já esgotada), e dia 2 de Junho no Passos Manuel, no Porto (21h30, 10€).

Sugerir correcção
Comentar