Honrar Gonçalo Ribeiro Telles

O homem, a vida, o pensamento, a obra. Um curto texto-manifesto tenta romper um falso consenso, quando as políticas públicas se alinham em contradição com o que ele sempre defendeu, arrastando a desorganização do território, a destruição da biodiversidade, a destruição da paisagem enquanto valor cultural e identitário.

Num momento em que se fala de Gonçalo Ribeiro Telles, nem sempre tendo coerentemente em conta o seu pensamento, a sua obra e a sua ação, inclusive como iniciador da legislação de proteção do ambiente em Portugal, alguns que o acompanharam, e desejam continuar a pôr em prática o seu espírito, sentiram necessidade de romper um falso consenso, quando as políticas públicas se alinham em contradição com o que ele sempre defendeu, arrastando a desorganização do território, a destruição da biodiversidade, a destruição da paisagem enquanto valor cultural e identitário, e as lógicas de um desenvolvimento contra o ambiente e a sustentabilidade, apesar de embrulhadas num discurso “verde”. Impulsionámos por isso um curto texto-manifesto já subscrito por 86 pessoas que com ele concordaram. Esperamos também promover proximamente diversos eventos na linha de “Olhar o Futuro e Honrar GRT”.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários