DGS quer saber mais sobre as doenças graves que afectam as grávidas

A investigação às mortes maternas “é complexa e ainda está em curso”, diz a Direcção-Geral da Saúde. Em 2020, a taxa de mortalidade materna foi de 20,1 óbitos por 100 mil nascimentos. Já em relação à mortalidade infantil, atingiu os valores mais baixos de sempre em 2020 e 2021.

Foto
O aumento da taxa de mortalidade materna já tinha sido motivo de preocupação anteriormente Nelson Garrido

A investigação às mortes maternas “é complexa e ainda está em curso”, diz a Direcção-Geral da Saúde (DGS), referindo que “neste momento não existe matéria que nos permita identificar um denominador comum, nem estabelecer hipóteses” para as 17 mortes que ocorrem em 2020. Segundo o Jornal de Notícias, a taxa de mortalidade materna foi de 20,1 óbitos por 100 mil nascimentos, a mais alta dos últimos anos. Foi dada prioridade à codificação das mortes, para que o processo de investigação possa ser mais rápido, e a DGS está também a estudar uma forma de monitorizar as situações de doença grave nas grávidas.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários