Prédios da Câmara do Porto com reabilitação premiada continuam por habitar

Casas no centro histórico que eram para habitação social vão afinal para o mercado de arrendamento acessível. Problemas detectados na fase de vistoria, há cerca de um ano, impedem conclusão da obra, diz autarquia.

Foto
Reabilitação dos edifícios foi da autoria do arquitecto Paulo Moreira, em colaboração com a Parq Arquitectos Tiago Lopes

Quando em Julho de 2016 Rui Moreira e o seu então vereador da habitação, o socialista Manuel Pizarro, anunciaram um programa de reabilitação de casas no centro histórico do Porto, convidaram a comunicação social a visitar três edifícios (dois deles tratados como uma unidade) da Rua de Trás. Eram os maiores e talvez os mais emblemáticos de um projecto de reabilitação de casas no centro histórico destinadas a habitação social. No total, eram 17 edifícios e a reabilitação, com um custo previsto de 4,1 milhões de euros, deveria estar pronta até ao fim de 2018. A empreitada dos prédios da Rua de Trás não terminou na data prevista, mas foi concluída no ano seguinte – um deles em Fevereiro de 2019 e o outro no final desse mesmo ano, segundo o arquitecto responsável pelo projecto. Até agora, no entanto, os edifícios continuam por habitar.

Sugerir correcção
Comentar