Bruxelas adia regresso das regras que maioria dos países planeava não cumprir

Portugal está no grupo minoritário de países da zona euro que prevê, durante este ano e no próximo, cumprir as regras definidas no Pacto de Estabilidade para o défice e a dívida.

Foto
Fernando Medina esteve no Eurogrupo e sublinhou que Portugal apoia suspensão das regras orçamentais em 2023, mas não por “interesse próprio”. EPA/OLIVIER HOSLET

Portugal faz parte da minoria de países da zona euro que já está a apontar para valores do défice orçamental e da dívida pública em 2022 e 2023 que ficam dentro daquilo que está definido pelas regras europeias. Mas a existência nestes anos de uma maioria de potenciais incumpridores é um dos motivos pelos quais a Comissão Europeia decidiu propor, esta segunda-feira, o prolongamento da cláusula de escape do Pacto de Estabilidade até ao final do próximo ano.

Sugerir correcção
Comentar