Bandarra em Babel

Uma porção considerável de Coisas do Arco da Velha é dedicada a excursões pela intrigante Babel que é a área metropolitana de Lisboa.

Se quisermos apreciar a rubrica da TVI Coisas do Arco da Velha como aquilo que é (uma incontestável obra-prima televisiva), temos primeiro de compreender aquilo que não é. Apesar de surgir no fim do Jornal da Uma, não se trata de uma rubrica noticiosa. Mas também não é, ao contrário do que se poderia pensar, uma rubrica de fait divers. O mais razoável, aliás, é descartar por completo categorias informativas e pensar em “coisas do arco-da-velha” como uma forma de poesia — versos livres que, por mera conveniência de programação, costumam ser declamados a seguir às notícias.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários