Entidade que fiscaliza partidos espera receber à volta de 1500 contas só das autárquicas

Fátima Mata-Mouros explica como a ECFP se prepara para o aumento extraordinário de contas para analisar: contratação antecipada de auditores externos e lançamento de um concurso para colocar auditores no quadro.

Foto
Fátima Mata-Mouros é presidente da ECFP desde 2 de Novembro de 2021 @Daniel Rocha

A Entidade das Contas e Financiamentos Políticos (ECFP) prevê ter “cerca de 1500 contas para analisar” referentes às eleições autárquicas de 2021. Um número que a presidente da instituição, Fátima Mata-Mouros, considera por si só elevado mas que pode até ser superado. Numa tentativa de acelerar os processos internos de análise das mais variadas contas, a entidade já formou as equipas que vão avaliar as contas dos partidos referentes ao ano passado – e que terão que ser entregues até 31 de Maio – e prepara-se para lançar um concurso de contratação de auditores para os seus quadros, revelou a responsável máxima da instituição ao PÚBLICO.

Sugerir correcção
Comentar