Baixas no sector do comércio e serviços “têm aumentado significativamente”

Empresas de menor dimensão, nomeadamente as que fazem atendimento ao público, são as que mais se ressentem da nova vaga da doença.

Foto
Baixas por doença afectam particularmente aos pequenos estabelecimentos com atendimento ao público Nuno Ferreira Santos

A sexta vaga de covid-19 chegou mais discreta, mas está a traduzir-se num aumento de baixas entre os trabalhadores do sector do comércio e serviços, um impacto que é sentido particularmente nas empresas de menor dimensão. O teletrabalho e a flexibilidade de horários têm ajudado a minorar o aumento de casos, adiantou ao PÚBLICO João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP).

Sugerir correcção
Comentar