Primeiro gestor do BES a ser julgado para pagar à massa falida é ilibado

A comissão liquidatária do BES exigia 380 mil euros a Mosqueira do Amaral, por actos que considera que prejudicaram os credores. Tribunal deu razão ao antigo gestor.

Foto
Pedro Mosqueira do Amaral, antigo administrador não executivo do BES e gestor da empresa alemã BES Beteiligungs MIGUEL A. LOPES/LUSA

Pedro Mosqueira do Amaral é o primeiro dos antigos administradores do Banco Espírito Santo (BES) visados no processo de insolvência a ser ilibado, por completo, de responsabilidades. Depois de ter deixado de constar da lista de gestores tidos como culpados pela falência do banco, Mosqueira do Amaral ganhou agora o processo que o opunha à comissão liquidatária do BES, que lhe exigia cerca de 380 mil euros. O juiz não só considerou que não ficou provado que o responsável tenha agido de má-fé, como aponta para Ricardo Salgado como responsável maior pela falência do BES.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários