Tempo de serviço como factor para colocação de professores doentes já foi chumbado em 2016

Ministério insiste numa proposta que o Conselho das Escolas classificou, em 2016, como sendo “ética e legalmente questionável”.

Foto
Cerca de 20 mil professores poderão renovar contratos

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) insistiu, nesta quarta-feira, que o regime de mobilidade por doença (MPD) dos docentes “não pode excluir quem está impedido de se deslocar entre a localidade onde é clinicamente acompanhado e a escola de acolhimento”. O alerta faz parte de um sumário com 10 pontos que, segundo a Fenprof, devem nortear a revisão do regime de mobilidade por doença, um dos temas em debate nas negociações entre o Ministério da Educação (ME) e os sindicatos de professores, que começaram segunda-feira e prosseguem nesta quarta-feira.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários