De dez em dez anos, duas mil pessoas de Oberammergau representam A Paixão de Cristo. É agora

Para a pequena cidade de Baviera, na Alemanha, é normal: mais de um terço de Oberammergau ensaia durante meses a vida de Cristo. E durante meses leva-a à cena. É assim há 400 anos e a peça nascida de uma promessa tornou-se uma atracção turística mundial. A Paixão vive-se agora: estreia este sábado e tem representações até Outubro.

�
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/Birgit Gudjonsdottir
�
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/Birgit Gudjonsdottir
�
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/Birgit Gudjonsdottir
jesus,viagens,fugas,teatro,religiao,alemanha,
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/ARNO DECLAIR
�
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/Birgit Gudjonsdottir
�
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/Birgit Gudjonsdottir
�
Fotogaleria
A Paixão de Oberammergau Passionspiele/Birgit Gudjonsdottir

Em 2020, Oberammergau voltava a estar focada n’ A Paixão, a peça que tornou a pequena cidade uma celebridade: os últimos tempos da vida de Cristo são revividos em palco por cerca de 2000 habitantes de dez em dez anos. Uma produção gigantesca, já altamente profissional, com meses e meses de ensaios, que atrai centenas de milhares de turistas para verem durante cinco horas a récita com acompanhamento musical clássico à altura, coro e orquestra incluídos. No programa, uma centena de representações de Maio a Outubro. E então chega a pandemia e o mundo pára, incluindo a morte e ressurreição de Cristo em vale dos Alpes da Baviera. Para uma peça que, reza a lenda, nasceu há quase 400 anos de uma promessa local durante os tempos da Peste Negra, o cancelamento foi “doloroso”, diz-nos o encenador, Christian Stückl. Caía por terra a tradição maior do município, à volta do qual tudo parece rodopiar, por causa de uma nova “peste”. Quando a peça foi confirmada para este ano todos “respiraram de alívio”.

Sugerir correcção
Comentar