Inflação, guerra e pandemia empurram bolsas para perdas de 20% em 2022

Os principais mercados accionistas mundiais estão a aproximar-se do chamado “mercado urso”. A tendência, antecipam os analistas, poderá prolongar-se.

Foto
Reuters/LUCAS JACKSON

O ciclo de crescimento acentuado das maiores praças mundiais, mantido ao longo dos últimos dois anos, poderá estar a chegar ao fim. A braços com uma pandemia que se prolonga, os receios em torno de uma inflação demasiado elevada e uma guerra que vem agravar a incerteza económica e a pressão sobre as cadeias de abastecimento, os principais mercados accionistas já desvalorizam quase 20% desde o início deste ano, uma queda que os analistas antecipam que ainda poderá acentuar-se.

Sugerir correcção
Comentar