A roda da fortuna de João Botelho

João Botelho na sua melhor forma, fazendo de Alexandre O’Neill o centro de uma fantasia lúdica que celebra o artifício do estúdio, num encontro improvável entre Fernando Lopes e Vincente Minnelli.

Foto
DR

Valerá a pena começar por aqui: encontra-se em Um Filme em Forma de Assim a melhor ficção de João Botelho desde a sua feliz adaptação dos Maias de Eça (2014), ao mesmo tempo que se reconhece uma forte proximidade ao Filme do Desassossego (2010), aplicando a mesma fórmula solta de “fantasia sobre o universo e a biografia de um escritor” a Alexandre O’Neill.

Sugerir correcção
Comentar