ICBAS cria bolsa anual de 25 mil euros para investigação em Ciências da Saúde

A bolsa Professor Nuno Grande quer promover a aquisição de competências académicas diferenciadoras para o ensino da Medicina.

Foto
Mediamodifier/Unsplash

O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), no Porto, criou a Bolsa Professor Nuno Grande, de 25 mil euros, para apoiar os trabalhos de investigação nas áreas das Ciências Fundamentais da Saúde.

A bolsa “destina-se a apoiar os trabalhos de investigação nas áreas das Ciências Fundamentais da Saúde, promovendo a aquisição de competências académicas diferenciadoras para o ensino da Medicina dos médicos que, colaborando no ensino, estejam ou pretendam desenvolver os seus estudos no âmbito do Programa Doutoral em Ciências Médicas, ministrado no ICBAS”, adiantou a instituição de ensino, em comunicado.

Nuno Grande, fundador do ICBAS, morreu em 2012 e foi professor, médico, pensador, criador e humanista, deixando uma “grande marca” no ensino da Medicina em Portugal.

Outro dos propósitos desta bolsa é destacar a importância da participação de médicos na investigação e docência nas Ciências Fundamentais da Saúde, desenvolvendo o conhecimento avançado com os “inequívocos ganhos” societais com a criação de conhecimento específico e especializado nas áreas ciências básicas da saúde, acrescentou.

A bolsa anual de 25 mil euros conta com o apoio da Fundação Bial, tendo a sua criação sido anunciada na quinta-feira, dia em que o ICBAS celebrou 47 anos.

Na cerimónia, o director do ICBAS, Henrique Cyrne Carvalho, salientou, citado na nota de imprensa, que a iniciativa foi da família de Nuno Grande que contou, desde logo, com o seu apoio. “Depois precisávamos de alguém que desse validade a este projecto e convidamos Luís Portela [da Bial] que também tem uma grande ligação a Nuno Grande”, referiu.

Por seu lado, Luís Portela enalteceu a “figura excepcional” de Nuno Grande, recordando a sua ligação ao Prémio Bial desde o início da sua instituição, em 1984.

Sugerir correcção
Comentar