Arte no estaleiro: “Seu Claudino, sabe o que é a utopia?”

Num estaleiro de obra em Guimarães, um artista brasileiro desafia os operários a olharem para os objectos de trabalho, para o lixo — e para o mundo — de uma outra forma. Num cenário improvável, a arte pode ajudar à saúde mental. A utopia nunca anda longe daqui.

Foto
PP - 24 FEVEREIRO 2022 - GUIMARAES - ARTISTA BRASILEIRO ARTHUR PUGLIESE FAZ INTERVENCAO NOS LOCAIS EM CONTRUCAO COM OS TRABALHADORES CRIANDO OBRAS DE ARTE Paulo Pimenta

Arthur pegara numa pá que tinha sido deitada para o lixo do estaleiro de obras e colocara-a na parede. Para ele, o gesto, e a sua intervenção sobre o objecto, transformava-o numa obra de arte. “No dia seguinte, cheguei e essa pá não estava mais lá...”, conta. Claudino Proença, um dos trabalhadores, vira a pá na parede e decidira usá-la. “Foi interessantíssimo: ele tirou a obra de arte da parede, usou como pá, limpou ali mais ou menos e depois colocou na parede outra vez.”

Sugerir correcção
Ler 1 comentários