Pote foi do cume da Europa ao sopé de Portugal

Para Pedro Gonçalves, uma anomalia estatística positiva em 2020/21 deu lugar a uma negativa em 2021/22. Em cerca de um ano, no rácio entre golos e golos esperados, o jogador do Sporting desceu de um aproveitamento de +11 para uma eficácia de -5.

Foto
Pedro Gonçalves, jogador do Sporting EPA/MANUEL DE ALMEIDA

A 2 de Março de 2021, escrevia-se no PÚBLICO que o aproveitamento de oportunidades de golo de Pedro Gonçalves era “um número altíssimo para a I Liga – ninguém chega sequer perto –, mas não só. Na nata da Europa, não há quem finalize como Pote”. À data, referíamo-nos aos 14 golos marcados para um valor de golos esperados (ver caixa explicativa) de apenas seis – um rácio de +8.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários