O eterno Agosto de Elon Musk

O Twitter é apenas um espaço diminuto onde múltiplos espalhafatos colidem, e, se alguns desses espalhafatos vão depois ecoar noutros sítios, isso deve-se, em grande parte, à quantidade desproporcional de figuras da imprensa, política e entretenimento que lá anda.

“Deixem-me falar-vos dos muito ricos: eles são diferentes de nós”, escreveu F. Scott Fitzgerald num conto sobre os muito ricos. Depois de uma década a remoer o assunto, Hemingway citou a frase em As Neves do Kilimanjaro e colocou a resposta na boca do narrador: “Pois são: têm mais dinheiro.” Embora protegida pelos protocolos da literatura, a tirada pertence a outro reino: na brevidade contra-aforística, no antagonismo impulsivo, no modo como verte numa piada uma aparente diluição de senso comum para reduzir um tema inteiro ao ridículo, tem todas as propriedades formais de um tweet.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários