Guerra na Ucrânia hoje: o que precisa de saber

As forças russas não conseguiram capturar as três áreas que tinham definido como alvos para este sábado na região do Donbass, segundo as Forças Armadas da Ucrânia. Cerca de 20 civis foram retirados da fábrica Azovstal depois de ter sido acordado um cessar-fogo com Moscovo. Um artigo em actualização ao longo deste dia.

Foto
A cidade de Kharkiv continua a ser alvo de bombardeamentos Reuters/RICARDO MORAES

▶ Apesar de os ataques continuarem na região do Donbass, as forças russas não conseguiram capturar as três áreas que tinham definido como alvos para este sábado, disse o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia na sua actualização diária.

▶ A Rússia continua com problemas de coordenação táctica na Ucrânia e o seu apoio aéreo é inconsistente, segundo informações divulgadas pelos serviços secretos do Reino Unido. Por esta razão, as suas tropas estão a tentar limitar a invasão e a concentrar geograficamente o poder de combate, avisa.

▶ Um ataque com mísseis russos levado a cabo contra o aeroporto da cidade de Odessa, que está a ser alvo de várias explosões este sábado, danificou uma das suas pistas, revelaram os militares ucranianos.​​ "Odessa nunca esquecerá este acto da Rússia”, disse Volodymyr Zelensky no seu discurso nocturno.

▶ O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, pediu à NATO e aos Estados Unidos que parem de entregar armas à Ucrânia, se “estiverem realmente interessados em resolver a crise ucraniana”.

▶ Depois de várias tentativas falhadas, as forças russas aceitaram fazer um cessar-fogo em Mariupol este sábado. Cerca de 20 civis foram retirados da fábrica Azovstal, revelou um comandante do batalhão Azov.

▶ Foram encontrados corpos de três homens num poço, em Bucha, com as mãos atadas e os olhos vendados, que foram visivelmente torturados, informou a polícia de Kiev.​​

▶ Sete soldados e sete civis regressaram à Ucrânia na sequência de uma troca de prisioneiros com a Rússia neste sábado, disse a vice-primeira-ministra Iryna Vereshchuk.​​

Um avião russo de reconhecimento foi detectado a violar o espaço aéreo da Suécia, revelou o Estado-Maior sueco - um acto que o ministro da Defesa, Peter Hultqvist, considerou “totalmente inaceitável”.​

Sugerir correcção
Comentar