Retrospectiva de Paula Rego pára em Málaga com menos obras, mas com as histórias que ela sempre quis contar

Terceira paragem da exposição inaugurada no ano passado na Tate Britain e que há muito lhe era devida. A comissária Elena Crippa e o filho da artista, Nick Willing, guiaram a visita pelas salas em que pinturas, desenhos e colagens mostram como em Paula Rego arte e vida se confundem.

Paula Rego PX461 Love 1995
120 x 160 cm
Pastel onPaper on Aluminium
Model: Victoria Willing
�
Fotogaleria
"Love", 1995 Cortesia Ostrich Arts Ltd And Victoria Miro
estado-novo,tate-britain,paula-rego,culturaipsilon,pintura,espanha,
Fotogaleria
"Sleeping", 1986 cortesia Arts Council Collection, Southbank Centre, London

É possível que não o soubessem ainda quando aceitaram fazer de guias à exposição de Paula Rego que foi inaugurada esta terça-feira no Museu Picasso de Málaga, mas Elena Crippa, a comissária, e Nick Willing, o filho da pintora, formam uma dupla perfeita quando se trata de abrir a porta para o universo desta artista portuguesa que se fixou em Londres na década de 1970.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários