Pandemia e práticas pouco inclusivas afastam estudantes com necessidades especiais

A nível nacional, houve mais estudantes com necessidades educativas especiais a abandonar os estudos e menos a diplomarem-se. Universidade de Lisboa rumou no sentido contrário.

Foto
Probabilidade de abandonar os estudos é maior entre os alunos com deficiência Paulo Pimenta

O apoio à mobilidade internacional dos alunos com necessidades educativas especiais (NEE) tem sido uma das estratégias seguidas pela Universidade de Lisboa (UL) para favorecer a integração destes estudantes. É uma de várias medidas que, segundo a pró-reitora Maria José Chambel, levam a que a segunda maior universidade do país contrarie, pela positiva, as tendências nefastas identificadas no último Inquérito às NEE no Ensino Superior da Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, relativo a 2021/2022.

Sugerir correcção
Comentar