Quatro artistas a morar no DDD, ou como um festival não tem de ser só para espectáculos

A sexta edição do Festival Dias da Dança arranca esta terça-feira com um programa-piloto que procura criar momentos de desaceleração, partilha e reflexão no meio do fluxo da programação. Chama-se DDD Guests e reúne criadores emergentes de diferentes territórios artísticos.

festival-ddd-dias-danca,teatro-municipal-porto,teatro-municipal-rivoli,clara-andermatt,culturaipsilon,danca,
Fotogaleria
Iara Izidoro DR
festival-ddd-dias-danca,teatro-municipal-porto,teatro-municipal-rivoli,clara-andermatt,culturaipsilon,danca,
Fotogaleria
Ana Isabel Castro DR
festival-ddd-dias-danca,teatro-municipal-porto,teatro-municipal-rivoli,clara-andermatt,culturaipsilon,danca,
Fotogaleria
Gaya de Medeiros DR
festival-ddd-dias-danca,teatro-municipal-porto,teatro-municipal-rivoli,clara-andermatt,culturaipsilon,danca,
Fotogaleria
Djam Neguin DR

Há muito que festivais, feiras, bienais e outros acontecimentos de grande dimensão ocupam um lugar de protagonismo e de legitimação no ecossistema da cultura, reproduzindo, para o bem e para o mal, uma série de vícios da vida contemporânea: a hiperactividade e a hiperprodutividade, a pressão do networking e do ver e ser visto, o corre-corre de eventos e actividades a um ritmo tantas vezes assoberbante e que pouco espaço deixa para digerir o que se vê e experiencia.

Sugerir correcção
Comentar