A Queijeira Verde: a arte de fermentar e curar cajus que a pandemia trouxe à luz do dia

A partir de Aveiro e para todo o país, Joana Teixeira dos Santos produz, de forma artesanal, “queijos” 100% vegetais. As opções de pimentão-doce fumado e ervas estão entre as mais requisitadas.

Foto
Os produtos d’A Queijeira Verde Adriano Miranda

Fecha-se uma porta, abre-se uma janela. A história d'A Queijeira Verde, marca portuguesa de “queijos” veganos, encaixa que nem uma luva nesse velho ditado. Obrigada a fechar o seu negócio por conta do confinamento, Joana Teixeira dos Santos agarrou-se, com afinco, a uma vontade que vinha alimentando há algum tempo. “Já tinha esta intenção de produzir ‘queijos’ vegetais, mas a falta de disponibilidade nunca me tinha permitido começar”, introduz. Aos ensinamentos que tinha recolhido em algumas formações, Joana juntou mais uma boa dose de pesquisas e experiências para chegar ao seu produto final: um preparado de caju fermentado e curado, capaz de substituir o queijo nas mesas de quem rejeita (ou procura reduzir) os produtos de origem animal. E não foi preciso muito tempo para que os produtos d’A Queijeira Verde conquistassem os paladares mais exigentes.

Sugerir correcção
Comentar