Nuno Melo alimenta expectativa de legislativas antecipadas para “devolver o CDS ao lugar que merece”

“Há uma parte da sociedade que não está lá [na Assembleia da República], somos nós”, disse o novo líder do CDS ao congresso, definindo o CDS como um “partido humanista e personalista”.

Foto
Nuno Melo é o novo presidente do CDS, eleito com maioria reforçada face ao seu antecessor José Sérgio

Com uma eleição da comissão política reforçada e uma aparente pacificação interna, o novo líder do CDS terminou o 29.º congresso do partido com um discurso em que aproveitou a sugestão sobre uma saída antecipada de António Costa para um cargo em Bruxelas para deixar no ar a expectativa de haver legislativas antes de 2026 e a esperança de o CDS voltar ao Parlamento. Nuno Melo prometeu uma oposição “forte e capaz” ao Governo do PS mas também assume o CDS como o partido das “soluções”.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários