Constança Urbano de Sousa: “Sofri pressões ao mais alto nível para não alterar Lei da Nacionalidade”

A deputada do PS fala, em entrevista ao PÚBLICO, sobre as pressões que sofreu quando tentou mudar da Lei da Nacionalidade para apertar a malha sobre quem poderia ter acesso à nacionalidade portuguesa. Constança Urbano de Sousa comenta ainda as alterações recentes na legislação sobre a nacionalidade de descendentes de judeus sefarditas.

Foto
Constança Urbano de Sousa decidiu deixar o Parlamento Nuno Ferreira Santos

Em 2020, a deputada e vice-presidente da bancada socialista no Parlamento Constança Urbano de Sousa procurou alterar a “lei do retorno” dos descendentes de judeus sefarditas, mas foi obrigada a desistir face à “enorme onda de contestação” e às pressões de que foi alvo, inclusivamente por parte de figuras históricas do PS, como Maria de Belém ou Manuel Alegre. Na altura alertou, para a ‘comercialização’ da nacionalidade portuguesa e para o facto de a legislação, como estava redigida, abranger um universo incalculável de potenciais candidatos.

Sugerir correcção
Ler 119 comentários