Marcelo quer que comemorações do 25 de Abril sirvam para fazer o que ainda não foi feito

A cerimónia que marca o início de quatro anos das comemorações dos 50 anos da Revolução dos Cravos fez-se sob o signo do futuro, sem sombra da irritação que levou o Presidente a cancelar a audiência com o primeiro-ministro e sem a presença de Ramalho Eanes.

antonio-costa,25-abril,ramalho-eanes,governo,presidencia-republica,ucrania,
Fotogaleria
Marcelo quer as mudanças que faltam no país Nuno Ferreira Santos
As comemorações dos 50 anos do 25 de Abril arrancaram sob o signo do futuro
Fotogaleria
As comemorações dos 50 anos do 25 de Abril arrancaram sob o signo do futuro Nuno Ferreira Santos
Vasco Lourenço esteve presente, mas Ramalho Eanes não
Fotogaleria
Vasco Lourenço esteve presente, mas Ramalho Eanes não Nuno Ferreira Santos
antonio-costa,25-abril,ramalho-eanes,governo,presidencia-republica,ucrania,
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos

No Pátio da Galé, o local onde arrancaram as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, todos estiveram em aparente sintonia. O dia em que a democracia ultrapassou o tempo da ditadura do Estado Novo era também o dia da entrega do elenco do novo Governo ao Presidente da República, numa audiência que deveria ter lugar a seguir à cerimónia, mas que Marcelo Rebelo de Sousa cancelou depois de ter visto, com irritação, os nomes dos futuros ministros na comunicação social. Mas no Pátio da Galé não houve sombra de desavença, só sorrisos e desígnios comuns entre ambos.

Sugerir correcção
Comentar