Tribunais em risco de ruptura por falta de funcionários

Baixas remunerações, horários de trabalho pesados e envelhecimento da classe ajudam a explicar fenómeno, que, a não ser resolvido, agravará problema das prescrições dos processos. “Se a administração central mantiver a não contratação de novos funcionários, a curto prazo assistiremos a um colapso dos serviços”, diz o juiz que dirige a comarca de Braga, num apelo que se estende a boa parte do país.

Foto
“Muitos funcionários pediram para continuarem com os portáteis do tribunal em casa, para poderem trabalhar à noite”, diz administrador

O problema não abrange todo o país por igual, mas o alerta é comum a vários tribunais portugueses: a falta de funcionários agravou-se até ao risco de ruptura. Além de atrasos ainda maiores no serviço, isto significa mais prescrições, se os processos que não tiverem quem deles se encarregue a tempo e horas.

Sugerir correcção
Ler 31 comentários