D. Constantim, cansado de comédias

Andavam pelo povo desde manhã cedo, o rei cavalgando, os pajens dançando. Em cada casa visitada matavam a sede com jarrões de vinho do Ribeiro. Memórias de outros carnavais galegos.

memoria-viajante,carnaval,galiza,fugas,
Fotogaleria
Carnaval em Laza Humberto Lopes
memoria-viajante,carnaval,galiza,fugas,
Fotogaleria
Carnaval em Laza Humberto Lopes
memoria-viajante,carnaval,galiza,fugas,
Fotogaleria
Carnaval em Laza Humberto Lopes

De Verín para cima o Tâmega é um ribeiro tímido. Como tantos outros rios acabados de vir ao mundo. A estrada lá ia a par das águas - parcas porque os dias de Inverno nesse ano tinham sido um fartote de sol. E aquele Fevereiro pedia manga curta, coisa que, diziam, até daria jeito naquela segunda-feira de entrudo. Ou “entroido”, que aquilo era terra galega. O jeito que poderia dar a roupa leve ver-se-á adiante, mas a teoria é discutível.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários