Drew Weissman: “Sou um bocado como um pai a falar dos filhos, mas acho que o ARNm vai mudar muito a medicina”

Cientista norte-americano que co-desenvolveu a molécula de ARN-mensageiro possível de usar em vacinas ou tratamentos é distinguido pelo Prémio de Biomedicina da Bial. Quer fazer chegar esta tecnologia a todas as partes do mundo, para que haja mais igualdade no acesso às vacinas da covid-19.

Foto

Drew Weissman e Katalin Karikó fizeram uma dupla na Universidade da Pensilvânia (Estados Unidos) que, contra ventos e marés, e face à indiferença geral, deu os passos mais importantes para tornar útil para a medicina o ARN-mensageiro (ARNm), a molécula que leva o código genético escrito em ADN no núcleo das nossas células para os ribossomas, as máquinas celulares onde são fabricadas as proteínas. Descobriram como fazer com que o ARNm deixasse de desencadear reacções inflamatórias – mas na altura, em 2005, ninguém lhes prestou muita atenção. “Simplesmente não havia interesse no ARNm, apesar do que estávamos a mostrar”, contou ao PÚBLICO Drew Weissman.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários