Análise sobre a solidão no mundo apresenta um Portugal um pouco só

Dados de 113 países referentes ao período entre 2000 e 2019 mostram que a solidão a um nível problemático está generalizada, alerta o estudo publicado na revista British Medical Journal.

Foto
PP - 25 MARCO 2020 - PORTO - DIA A DIA NA CIDADE CORONAPUBLICO CORONAVIRUS Paulo Pimenta

Os dados recolhidos pela equipa de investigadores na Austrália e publicados na revista British Medical Journal (BMJ) não são suficientes para tirar conclusões sobre a evolução da solidão no mundo ao longo do tempo. Porém, a meta-análise que olhou para inúmeros estudos em 133 países é suficiente para concluir que a solidão deve ser encarada como um problema de saúde pública. Abala-se mais uma vez o mito de uma solidão que só perturba os mais velhos, destaca-se um padrão na Europa com o grupo dos países a norte menos sós e a leste mais sós. Mostra-se um Portugal um pouco só. E, claro, é impossível ignorar o provável impacto negativo da pandemia da covid-19 neste indicador de saúde mental e física.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários