Eventos: 5 tendências para este ano que não pode perder

Com a Covid-19, o mundo dos eventos mudou e a oferta adaptou-se a esta mudança. O que está para vir? E onde realizar os seus próximos eventos?

estudio-p,
Fotogaleria
Evento digital no CCB CCB © Pedro Pina
estudio-p,
Fotogaleria
Evento físico no CCB ©Público

No início de 2020, o mundo ocidental estava longe de saber como a sua vida iria mudar. De repente, a casa tornou-se escritório, escola, restaurante. Os eventos foram cancelados ou adiados, e esta indústria foi obrigada a adaptar-se a uma nova conjectura. Quase 2 anos depois, os eventos começam a surgir presencialmente, outros apenas online e muitos adoptam um modelo híbrido. Qual será o formato que terá maior destaque este ano? E que tendências se prevêem para esta indústria? E onde realizar? Para Madalena Reis, directora de marketing e desenvolvimento do Centro Cultural de Belém (CCB), “2022 será o ano dos reencontros”.

Tendências do mercado de eventos

A indústria dos eventos passou por grandes sobressaltos nestes tempos de pandemia. Porém, espera-se que a sua taxa de crescimento anual aumente 11,2% entre 2021 e 2028. Este salto implica a adopção de novos formatos e estar a par das principais tendências. Conheça-as:

1. Experiências imersivas e interactivas
Depois de vários meses em que as apresentações eram feitas apenas via digital, é hora de dar novas “formas” aos eventos presenciais, através de experiências imersivas e interactivas, com o auxílio da realidade aumentada e ou da virtual.

2. Eventos menores com maior ROI

Mais fácil de planear, este tipo de eventos permite às empresas poupar. Optar por pequenos eventos permite realizar mais acções, o que em termos de visibilidade pode ser uma mais-valia.

3. Experiências personalizadas

Hoje, recolhemos vários dados sobre quem vai assistir ao evento, podendo usá-los para melhorar a experiência do mesmo. Personalizá-los pode levar a que o evento seja lembrado como memorável. Esta customização pode passar por oferecer uma caneta com o nome ou adaptar os snacks ao grupo.

4. Eventos presenciais, híbridos e online

Os eventos não vão ser apenas presenciais, podendo ser também online ou híbridos, o que permite chegar a diferentes públicos. Utilizar os três formatos é uma boa estratégia para as marcas alcançarem objectivos. Madalena Reis vai mais longe: “Acreditamos que a tendência será regressar ao modelo presencial, porque é essa a sua natureza – interagir e reunir pessoalmente. Também estamos convictos que, apesar de se tratar de uma solução técnica mais onerosa, o modelo de reunião híbrido complementará o presencial, porque as relações interpessoais são muito valorizadas no segmento dos eventos.”

5. Eventos mais sustentáveis ambientalmente
Contribuir para a preservação do meio ambiente é imperativo e, por isso, a sustentabilidade faz parte da agenda do dia. Para o conseguir, urge alterar hábitos e atitudes em todos os espectros da nossa vida. E os eventos não são excepção: desde os materiais disponibilizados (evitando os descartáveis e os plásticos) a brindes, é preciso escolhê-los a pensar no ambiente.

Onde realizar os eventos

Escolher um local para realizar eventos, sejam eles presenciais, online ou híbridos, nem sempre é fácil. Ora porque não existe serviço de catering, ora porque não se assegura uma internet com capacidade para livestreaming, ora porque simplesmente as salas não têm as dimensões necessárias ou mesmo a inexistência de uma equipa multidisciplinar.

No CCB, em Lisboa, não tem de se preocupar com nenhuma destas nuances. O Centro de Congressos e Reuniões conta com 17 salas de diferentes dimensões, 2 auditórios e o Espaço Vittorio Gregotti, que, além da sala principal, tem um amplo terraço com vista para o Rio Tejo. “As salas do CCB estão preparadas para todo o tipo de eventos”, refere Madalena Reis, Directora de marketing e desenvolvimento no Centro Cultural de Belém. E adianta: “Estamos totalmente preparados para realizar eventos com necessidades específicas, mesmo as que requerem montagem de equipamentos técnicos mais exigentes. Enquanto centro cultural temos também a possibilidade de propor aos nossos clientes a realização de espectáculos, concertos ou visitas guiadas associadas aos eventos.”

E para dar resposta a toda a tipologia de projectos – inclusive os mais fora-da-caixa, o CCB conta com uma rede de parceiros estratégicos que asseguram todas as fases do processo de forma exímia. “O nosso parceiro de catering é a Casa do Marquês, e na área dos audiovisuais contamos com a Smart Choice”. Já no que diz respeito a eventos híbridos, que “requerem videochamadas com participação de oradores externos, pacotes de elementos gráficos, plataformas configuráveis e personalizadas e mobile APP, criámos uma parceria com a 2inspire e, em conjunto, conseguimos o melhor resultado para o nosso cliente”, assegura.

Cyber Security Event 2019 Público ® Henrique Casinhas
Os espaços exteriores do CCB podem ser utilizados para activações de marca. Na foto, activação da Lime no Open Day Mobilidade Sustentável 2018 Público ® Henrique Casinhas
Espaço conertido para sala de reuniões D.R.
Coffee break CCB ® Estelle Valente
Activação de marca em sala interior no Open Day Mobilidade Sustentável 2018 Público ® Henrique Casinhas
Cyber Security Event 2019 Público ® Henrique Casinhas
Evento físico no CCB CCB © Estelle Valente
Fotogaleria
Público ® Henrique Casinhas

Qualquer entidade — pública, privada ou clientes particulares — pode alugar uma sala no CCB, com possibilidade de optar por um evento chave-na-mão com todos os serviços incluídos, usufruindo da “qualidade da arquitectura, da luz e da amplitude dos espaços, associadas ao mobiliário original com design de Daciano da Costa”, que “tornam estas salas muito especiais”, assim como a relação com os espaços exteriores, adianta Madalena Reis.

Para o fazer, basta contactar o CCB por telefone ou por email (eventos@ccb.pt) e pedir um orçamento. Outra opção é ir à área Planear Eventos do site do CCB e preencher o formulário disponível para"Pedido de Proposta".

Foto
Uma das zonas exteriores do CCB D.R.
Sugerir correcção
Comentar