O que faz um rapper numa exposição de arte contemporânea? E dois?

O rap de Grafeno e de Sandro G está presente na exposição Chorinho Feliz, do Arquipélago – Centro de Arte Contemporânea dos Açores, que evoca um cenário de festa para reflectir sobre as consequências da pandemia no “estar colectivo”.

Foto
Exposição Chorinho Feliz no dia da inauguração DR

Ao lado das telas suspensas de cores vivas em azul, verde e amarelo, e das fotografias sobre os romeiros de São Miguel e outras tradições de um povo, há um desenho de Sandro G, icónico rapper açoriano, na exposição Chorinho Feliz, patente no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas dos Açores.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários