José Gardeazabal: procurar nos livros uma pessoa para amar

José Gardeazabal volta a surpreender os leitores. E desta vez através de uma viagem por 36 livros que deixaram marcas na literatura universal.

Foto
Quarenta e Três é, sobretudo, uma viagem pela literatura universal Daniel Rocha

A obra romanesca de José Gardeazabal (n. 1966) quase que se poderia definir como um acumular de surpresas — cada novo livro parte de um lugar ausente nos anteriores, e percorre depois um caminho que é sempre inesperado. Mas a unir os romances, há a voz única e o estilo inconfundível do autor. Vem isto a propósito da publicação do seu quarto romance, Quarenta e Três (estranho título) — a narrativa de uma busca do amor enquanto se atravessam cartografias literárias. Já lá iremos.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários