Atrasos e descida da rentabilidade ensombram leilões solares

Falta de painéis e subida de preços levam Governo a dar mais tempo de construção aos projectos solares, mas a perda de rentabilidade é um “problema” que vai “estar aí nos próximos tempos”.

Foto
Só um quinto da potência solar do leilão de 2019 entrará em funcionamento em 2022, como previsto inicialmente Nuno Ferreira Santos

A pandemia declarada oito meses depois de conhecido o resultado do leilão de potência solar de 2019 (no final de Julho) deixou a maioria dos promotores em apuros para concluírem o licenciamento dos parques fotovoltaicos nas datas previstas e aptos a produzir ainda em 2022.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários