O golpe falhado que levou ao assassinato de Amílcar Cabral

Nas primeiras semanas de 1973, uma conspiração germinada no interior do PAIGC evoluiu para uma tentativa de golpe que acabou com o assassinato de Amílcar Cabral. Mustafah Dhada, historiador moçambicano e professor na California State University, dá-nos conta dos meandros dessa tentativa falhada para decapitar o PAIGC.

Foto
Amilcar Cabral em 1972 Bruna Polimeni

A 20 de Janeiro de 1973, na capital da Guiné-Conacri, Amílcar Lopes Cabral foi morto por um tiro à queima-roupa, e assim perdemos um ser humano dotado, moldado pelas experiências de vida que nos concederam a Guiné-Bissau e Cabo Verde independentes. Mas como é que ele morreu, e porquê? Este pequeno texto explica-nos porquê. Nele reuniram-se as peças de um puzzle, com dados retirados de vários arquivos, entrevistas orais efectuadas no final dos anos 70, relatos contemporâneos produzidos imediatamente após ele ter sido morto, pelas 10h32 daquela noite.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários