Legislador excluiu “avarias provocadas voluntariamente ou por negligência”

A Associação Portuguesa de Comércio de Automóveis (APDCA), que representa empresas de venda de automóveis usados, vê com “enorme preocupação” as alterações ao regime das garantias, que quase não faz distinção entre um artigo novo ou usado.

Foto
Michaela Rehle

Em resposta a perguntas do PÚBLICO, por escrito, Nuno Silva, presidente da APDCA, mostra-se particularmente preocupado com os abusos que a legislação pode potenciar.

Sugerir correcção
Comentar