Japão investe em sistema antimíssil inovador para responder à ameaça das armas hipersónicas na vizinhança

Ministério da Defesa japonês prevê que o sistema de canhão electromagnético esteja operacional na segunda metade da década, para contrariar o armamento desenvolvido por China, Coreia do Norte e Rússia.

Foto
Coreia do Norte garante que o ensaio da semana passada envolveu um míssil hipersónico Reuters/KCNA

Coreia do Sul e Estados Unidos desconfiam, mas a Coreia do Norte garante que completou, com sucesso, um novo sistema de lançamento de mísseis hipersónicos. Pelo sim, pelo não, e até porque há suspeitas de que a República Popular da China e a Federação Russa também estão a desenvolver aquele tipo de armamento, o Japão já está a precaver-se.

Sugerir correcção
Ler 21 comentários