Magistrados enviados por Portugal só podem entrar no tribunal sul-africano como testemunhas, diz advogada de Rendeiro

Recurso apresentado pela defesa do ex-banqueiro para contestar a prisão preventiva está parado porque não se encontram as gravações da audiência onde o juiz sul-africano recusou libertar João Rendeiro, mediante o pagamento de uma caução.

Foto
João Rendeiro está detido na África do Sul há 35 dias LUSA/Luis Miguel Fonseca

A Procuradoria-Geral da República (PGR) fez saber, numa breve nota enviada aos órgãos de comunicação social, na quinta-feira, que “está a ser ponderada a constituição de uma delegação composta por magistrados do Ministério Público (MP) português com vista a deslocação à África do Sul para prestar todo o auxílio necessário e requerido pelas autoridades sul-africanas no contexto do processo de extradição”.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários