Restauração saúda adiamento da taxa sobre embalagens de plástico, mas com reservas

Para a AHRESP, o Governo devia ter excluído as embalagens de uso único das entregas a casa e do levantamento pelo cliente sem sair do carro, onde, diz, faltam alternativas. Já a associação Zero critica adiamento de seis meses para 1 de Julho e defende que a medida devia abranger todo o tipo de embalagens, incluindo mesmo as de papel.

Foto
Governo justifica adiamento da contribuição com o "actual contexto pandémico" e impacto no takeaway e entregas ao domicílio Rui Gaudencio

O Governo decidiu adiar em seis meses, para 1 de Julho, a entrada em vigor da nova contribuição sobre as embalagens de plástico (ou multimaterial com plástico) de utilização única nas refeições prontas a consumir.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários