“Esta não é uma boa altura para se ser autocrata”, diz a Human Rights Watch

Relatório anual da organização de direitos humanos apela aos líderes das democracias estabelecidas que respondam aos desafios, sob pena de fortalecerem as autocracias.

Foto
Kenneth Roth, director-executivo da Human Rights Watch DENIS BALIBOUSE/Reuters

A Human Rights Watch costuma fazer apelos a governos: para que sancionem quem não respeita direitos humanos, que não lhes vendam armas, que tenham uma política activa contra atrocidades em massa. Na apresentação do seu relatório anual, esta quinta-feira, a organização pede “aos líderes das democracias estabelecidas que tenham liderança visionária”, diz Kenneth Roth, director executivo da organização, numa entrevista por vídeo com o PÚBLICO na véspera. Sorri: “É um apelo pouco habitual para nós.” Qual a razão para ele? “Achamos que, se não o fizermos, os direitos humanos poderão ficar em perigo.”

Sugerir correcção
Comentar