Emídio Rangel venceu acção contra Portugal por violação da liberdade de expressão

Morte do fundador da TSF e director-geral da SIC não anulou queixa apresentada há oito anos no Tribunal dos Direitos Humanos contra multa que lhe foi aplicada pela justiça portuguesa, por falar na promiscuidade entre jornalistas e magistrados.

Foto
Caso remonta a 2010, quando Rangel foi chamado ao Parlamento Joana Bourgard

Emídio Rangel venceu, sete anos depois da sua morte, uma acção no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos em que acusava o Estado português de violação da liberdade de expressão. Portugal foi condenado esta terça-feira.

Sugerir correcção
Ler 21 comentários