Chelsey é uma espécie de detective que compra recordações e as devolve aos seus donos, gratuitamente

Até hoje, Chelsey Brown já devolveu centenas de items, deixou de contabilizar quando em Setembro chegou ao número 190.

impar,familia,questoes-sociais,historia,viagens,solidariedade,
Fotogaleria
O mais recente projecto da decoradora é um álbum de bebé de 1908 The Washington Post
impar,familia,questoes-sociais,historia,viagens,solidariedade,
Fotogaleria
The Washington Post

Chelsey Brown estava numa feira de velharias, em Manhattan, Nova Iorque, no Verão passado, quando viu uma velha carta manuscrita. Num impulso, decidiu: “Vou comprá-la por um dólar, levá-la para casa e tentar descobrir alguma coisa sobre ela.” Meia hora depois, no seu apartamento, a explorar um site de genealogia, descobriu os descendentes da pessoa a quem a carta fora endereçada. Contactou-os e ofereceu-lhes a carta há muito perdida. Ficaram felizes. “Daí em diante, nunca mais parei”, confessa a mulher, de 28 anos, explicando o seu hobby pouco comum.

Sugerir correcção
Comentar