Regresso às aulas: “Espero que agora as crianças possam mesmo estar na escola”

Na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa, o entusiamo entre os mais novos é grande. No Centro Escolar de Maximinos, em Braga, os mais pequenos partilham a experiência da vacinação. O segundo período começa assim, uma semana mais tarde, com mais alunos vacinados e com 118 professores em falta.

saude,educacao,sociedade,escolas,professores,ministerio-educacao,
Fotogaleria
Crianças regressam às aulas depois de três semanas de férias, no Centro Escolar de Maximinos, Braga ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
No Centro Escolar de Maximinos, Braga, a medir a temperatura à entrada ADRIANO MIRANDA
saude,educacao,sociedade,escolas,professores,ministerio-educacao,
Fotogaleria
Arranque das aulas na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa,Arranque das aulas na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa Daniel Rocha
Arranque das aulas na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa
Fotogaleria
Arranque das aulas na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa Daniel Rocha
Arranque das aulas na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa
Fotogaleria
Arranque das aulas na escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa Daniel Rocha
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA

A dez minutos do início das aulas, abre-se o portão da escola EB 2,3 Pedro de Santarém, em Lisboa: ninguém passa sem desinfectar as mãos. “Não vos quero uns em cima dos outros”, avisa a funcionária Carmén Ferreira, enquanto vai dispensando desinfectante e tentando manter alguma ordem. A mais de 350 quilómetros de distância, em Braga, a turma da educadora Isabel Pinto está “mais parada do que o normal”, depois de três semanas de férias. “Já não estão habituados a acordar cedo...”, explica a docente do Centro Escolar de Maximinos.

Sugerir correcção
Comentar