O prazer de odiar André Ventura

André Ventura é o Vítor Paneira da política nacional: só sabe fazer uma finta, mas todos caem nela.

Ventura, Ventura, Ventura, Ventura, Ventura. O fascista Ventura. O odioso Ventura. O cavernícola Ventura. Mas sempre: Ventura, Ventura, Ventura, Ventura, Ventura. O candidato do Chega é o isco irresistível onde toda a fauna mediática vai morder. E para quê? Para dizer que ele é horrível, detestável, mentiroso, malcriado, insuportável. É uma reacção pavloviana a um homem que anda há três anos a fazer o mesmo truque, mas no qual três quartos dos comentadores ainda hoje caem, por não resistirem à luxúria da indignação. Já dizia Lord Byron: “hatred is by far the greatest pleasure”. O ódio é o prazer mais duradouro.

Sugerir correcção
Ler 86 comentários