Justo Gallego (1925-2021), o homem que construiu sozinho uma catedral

Quis ser monge, mas a tuberculose impediu-o de prosseguir esse intento. Ancorado na fé e nas memórias de destruição da Guerra Civil Espanhola sonhou construir uma catedral. O sonho de Justo Gallego ficou inacabado, mas pelo menos o que conseguiu construir, que foi muito, não será destruído.

Foto
Justo Gallego nasceu em 1925 e viveu o início da adolescência durante a Guerra Civil de Espanha Denis Doyle/Getty Images

Há sonhos que demoram a ser concretizados e outros que nunca chegam a tornar-se reais. E depois há aqueles como a Catedral de Mejorada del Campo, município da comunidade de Madrid, que foi construído ao longo de 60 anos por um único homem que, sem qualquer formação em arquitectura ou engenharia, transformou em coisa real, tijolo a tijolo, o que idealizava na sua cabeça. Justo Gallego, agricultor que quis ser monge, mas que a tuberculose obrigou a abandonar o mosteiro antes de ser ordenado, morreu a 28 de Novembro, com 96 anos. Deixou, ainda inacabada, a sua catedral sonhada, que a Igreja nunca reconheceu e o Estado nunca legalizou. O município quer, agora, classificá-la como Bem de Interesse Cultural, protegendo-a.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários