Morreu o marchand d’art Jean-François Jaeger, que teve em Vieira da Silva e Arpad Szenes os seus artistas-fetiche

O presidente da galeria francesa que representa a obra de vários artistas portugueses tinha 98 anos e contraíra covid-19.

Foto
Véronique Jaeger e Jean-François Jaeger na exposição Passion de l'Art - Galerie Jeanne Bucher Jaeger depuis 1925, apresentada no Museu Granet, em Aix-en-Provence dr (cortesia de Jeanne Bucher Jaeger, Paris)

O galerista Jean-François Jaeger, que desde 1947 era presidente da galeria Jeanne-Bucher, em Paris, fundada pela sua tia-avó Jeanne Bucher, morreu aos 98 anos, na sequência de infecção pelo vírus SARS CoV-2. A morte aconteceu a 29 de Dezembro, em Marminiac, no Lot, em França, e o enterro realizou-se na sexta-feira. A galeria francesa tem uma forte relação com Portugal, onde abriu em 2018 a Jeanne Bucher-Jaeger Lisboa, e representa a obra da pintora portuguesa Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), do seu marido Arpad Szenes (1897- 1985), do pintor ​suíço que vivia em Portugal Michael Biberstein (1948-2013) e ainda dos artistas portugueses Miguel Branco e Rui Moreira.

Sugerir correcção
Comentar