Os desejos para 2022 de quem tem (pelo menos) uma boa razão para recordar 2021

Ana Luísa Amaral, Dino D’Santiago, Luís Soares, Marlene Monteiro Freitas e Ricardo Neves-Neves foram premiados pelo seu trabalho no ano que agora termina. Eis o que ardentemente esperam que aconteça no que este sábado começa.

Foto
Para 2022, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro de Freitas quer “menos pânico ao que é singular” e “menos fronteiras, visíveis e invisíveis” daniel Rocha

​Mais intervenção pública e política dos artistas e dos agentes culturais, uma aposta decisiva na promoção do gosto pela leitura, a redução das assimetrias regionais na oferta de espectáculos, menos fronteiras, mais beijos na boca: estes são alguns dos votos para 2022 de cinco autores que este ano viram o seu trabalho reconhecido e premiado, nacional ou internacionalmente.

Sugerir correcção
Comentar