Homem armado com uma besta detido depois de tentar invadir o Natal de Isabel II

As autoridades informaram que o rapaz, de 19 anos, foi interceptado quando tentava entrar no Castelo de Windsor e detido ao abrigo da Lei da Saúde Mental.

Foto
A rainha Isabel II gravou a mensagem de Natal no Castelo de Windsor Victoria Jones/Pool via REUTERS

Um jovem armado com uma besta foi detido depois de tentar invadir o Castelo de Windsor, onde a rainha Isabel II celebrava o Natal, mantendo-se sob custódia ao abrigo do Lei da Saúde Mental​, disse a polícia de Londres no domingo.

A polícia disse que o rapaz, de 19 anos e oriundo de Southampton, no Sul de Inglaterra, foi interceptado momentos depois de ter entrado nos terrenos de Windsor, na manhã de Natal, não tendo chegado a entrar em nenhum edifício. Quando foi revistado, foi encontrada a arma com um arco de flechas.

“O homem foi levado sob custódia e submetido a uma avaliação de saúde mental — desde então, mantém-se detido ao abrigo da Lei da Saúde Mental e permanece ao cuidado de profissionais médicos”, acrescentaram as autoridades que encontraram a arma com arco de flechas quando revistaram o rapaz.

A rainha Isabel II, que passou grande parte da pandemia no Castelo de Windsor, optou por passar nesta propriedade o Natal, contando com a companhia do filho e nora, o príncipe Carlos e Camila, além de outros familiares próximos.

As violações de segurança nas residências reais são raras. A mais grave do actual reinado aconteceu em 1982, quando um intruso subiu um muro para entrar no Palácio de Buckingham, e conseguiu chegar ao quarto da monarca.

Mensagem de Natal homenageia Filipe

A rainha não fez nenhuma aparição pública estes dias, mas a tradicional mensagem de Natal foi para o ar às três da tarde de 25 de Dezembro e foi o programa mais visto do dia: a BBC noticia que o discurso, transmitido pela BBC One, ITV e Sky News, foi visto por uma audiência de 8,96 milhões de pessoas.

Depois da mensagem do ano passado, centrada na esperança no meio da pandemia, Isabel II dirigiu-se a todos os que perderam pessoas no último ano, como ela. “O Natal pode ser difícil para aqueles que perderam entes queridos — este ano compreendo especialmente porquê”, disse, referindo-se ao príncipe Filipe, que morreu em Abril. Ao seu lado, em primeiro plano, uma fotografia do casal sorridente.

Dezembro de 1958. O duque de Edimburgo e a rainha de Inglaterra, Isabel II Donald McKague/Michael Ochs Archives/Getty Images
Setembro de 1960. A rainha Isabel II e o príncipe Filipe, duque de Edimburgo, com os seus filhos, a princesa Ana (esquerda), o príncipe André (centro), e Carlos, príncipe de Gales, nos arredores do Castelo de Balmoral, na Escócia Keystone/Getty Images
Novembro de 1947. A ainda princesa Isabel e o marido, Philip Mountbatten, durante a lua-de-mel, em Romsey, Hampshire Keystone/Hulton Archive/Getty Images
Janeiro de 1951. A primeira fotografia a cores da princesa Ana, nos braços da mãe, a rainha Isabel II, enquanto o duque de Edimburgo dá colo ao príncipe Carlos Keystone-France/Gamma-Keystone via Getty Images
Dezembro de 1997. A rainha Isabel II, acompanhada pelo marido Filipe, limpa uma lágrima durante o serviço formal de desactivação do iate real HMS Britannia no porto de Portsmouth, Reino Unido REUTERS
Setembro de 2015. O casal real assiste, divertido, a uma corrida de sacos no Encontro Anual Braemar Highland Gathering em Braemar, Escócia REUTERS/Russell Cheyne
Abril de 2016. Isabel II e o duque de Edimburgo são recebidos pelo então Presidente dos EUA Barack Obama e a primeira-dama Michelle Obama REUTERS/Alastair Grant
Abril de 2016. A rainha Isabel II e o príncipe Filipe durante as celebrações do 90.º aniversário da monarca REUTERS/Toby Melville
Julho de 2017. A rainha Isabel II e o príncipe Filipe, duque de Edimburgo, numa exposição da Colecção Real no Palácio de Buckingham, em Londres REUTERS/Neil Hall
Outubro de 2018. A rainha Isabel II e o duque de Edimburgo à chegada do casamento da princesa Eugenie, na capela de St. George, no castelo de Windsor Jonathan Brady via REUTERS
Novembro de 2002. De mãos dadas, no discurso da rainha na Câmara dos Lordes, em Londres REUTERS/Russell Boyce
Fotogaleria

Há exactamente 73 anos, a 20 de Novembro de 1947, Isabel e Filipe trocavam juras de compromisso diante de milhões de pessoas — o casamento foi testemunhado por cerca de 200 milhões em todo o mundo, graças à emissão especial da BBC, que transmitiu a gravação da cerimónia.

PÚBLICO

A monarca, de 95 anos, enalteceu o homem que a acompanhou durante mais de oito décadas (esteve casada durante mais de 73 anos, mas conheceu-o quando tinha apenas 13 anos), falando sobre “o seu sentido do dever, a sua curiosidade intelectual e a sua capacidade de se divertir em qualquer situação (...)”. E nem o peso dos 99 anos, segundo a rainha, apagou Filipe. “O brilho malicioso [nos seus olhos] era tão brilhante no fim como quando o vi pela primeira vez.”

Sugerir correcção
Ler 2 comentários