Quase desaparecida há décadas, a inflação é agora a sombra que paira sobre a retoma

Com previsões de crescimento acima de 5%, o ano de 2022 pode vir a ser o da confirmação da retoma mais rápida de todas as recessões das últimas décadas. Um obstáculo, no entanto, ainda pode surgir pela frente: uma inflação persistente que obrigue o BCE a retirar as ajudas mais rapidamente do que estava à espera

Desemprego em alta, agravamento de impostos para equilibrar as contas pública ou crescimento insípido dos salários são várias das preocupações que os portugueses se habituaram a ter na frente económica durante as últimas duas décadas. Mas com a inflação, e principalmente com aquilo que esta força o banco central a fazer às taxas de juro, os motivos para a preocupação não têm sido muitos. Até agora.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários