Só se consegue concluir o plano de TAP se todos “estiverem alinhados”

Em entrevista ao PÚBLICO a publicar esta sexta-feira, a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, não se mostra muito preocupada com o resultado das eleições antecipadas no destino da empresa pública, mas diz que se deve “partilhar a mesma visão” sobre o que é importante para a companhia aérea.

Foto
Christine Ourmières-Widener assumiu a presidência executiva em Junho Rui Gaudencio

Para a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, a perspectiva de eleições legislativas a 30 de Janeiro e uma eventual mudança de Governo não é algo que lhe tire o sono - “tendo a não me preocupar com as coisas que não consigo controlar. Se não fosse assim, não conseguiria dormir à noite” -, mas não deixou de vincar que “não se consegue concluir um plano se os intervenientes não estiverem todos alinhados”.

Sugerir correcção
Ler 15 comentários