Nasceu um colectivo vegano em Lisboa: o Botanista, a Eva e a Era juntam-se no Orteá

Nos últimos dois anos, o edifício número 19C da Rua Dom Luís I, em Santos, transformou-se num “laboratório vegan” que junta um restaurante, uma pastelaria, uma mercearia e pequenas fábricas de “queijo” (de caju) e kombucha. Agora, querem ser conhecidos como Orteá.

vegetarianismo,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
vegetarianismo,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria

O restaurante vegano Botanista, da chef pasteleira Catarina Gonçalves, mudou de nome para dar lugar ao Orteá: Vegan Collective, uma nova marca que junta todos os projectos no edifício 19C da Rua Dom Luís I, em Santos. Desde que abriu em 2018, o espaço transformou-se numa espécie de “laboratório vegano”: além do restaurante e pastelaria (sem glúten e sem açúcar refinado) no rés-do-chão, o Orteá inclui a “queijaria” artesanal Eva, a mercearia Pistácio, e as kombuchas (chá fermentado) da Era no primeiro andar. O nome — Orteá — alude a uma horta, onde abundam alimentos frescos que vão mudando a cada estação. Combina com o visual, com terrários, estantes e vasos repletos de plantas em cada canto.

Sugerir correcção
Comentar